CONCURSO PARA O TERMINAL DE CAMPANHÃ . PORTO .  CO-AUTORIA COM O ATELIER RISCO . 2016
A concepção do Terminal Intermodal de Campanhã (TIC) é ditada pela confluência de três acessos fundamentais:
– O Nó de Bonjóia – o principal gerador de tráfego – que faz a ligação do Terminal à Via de Cintura Interna;
– A Rua do Pinheiro de Campanhã, que estabelece uma ligação viária entre o Terminal e a zona urbana a poente do caminho-de-ferro, através da Rua do Freixo;
– O túnel pedonal que dá acesso à ferrovia, ao metro e à zona urbana de Campanhã. A concepção do Terminal é também orientada por duas cotas determinantes: a cota 65 – a mais adequada para estabelecer uma ligação entre a Rua do Pinheiro de Campanhã e o nó de Bonjóia; e a cota 60, que corresponde ao pavimento do túnel pedonal sob a ferrovia. A boa articulação entre estas duas cotas permite não só uma boa integração do Terminal com a orografia original do terreno, mas também um bom pé direito no piso inferior do Terminal, onde se localizam diversos serviços de apoio aos passageiros.
O projecto divide-se em duas partes: uma base constituída por muros, plataformas, vias e áreas ajardinadas, interligada pelo subsolo à estação de caminho-de-ferro; e um volume elevado – “cobertura” – para protecção da zona de embarque e fecho do Edifício de Acolhimento.
Os muros da base assumirão um carácter mais próximo da topografia do que da edificação; Já o volume elevado será caracterizado por uma estrutura em betão onde se deixa claro o princípio estrutural: vigas longitudinais, de maior secção, que suportam vigas transversais, mais esbeltas. Esta estrutura define uma grande pérgola que cobre a área de tomada e largada de passageiros e o edifício de apoio e que alterna áreas abertas, áreas de sombra, áreas cobertas com material translucido (policarbonato) e áreas opacas. Na extremidade sul o edifício ganha mais expressão, acentuando a sua presença urbana e marcando de forma inequívoca a entrada do Terminal. 
No topo norte um sistema de gárgulas de grande dimensão assegura a drenagem de parte significativa da cobertura, encaminhando a água em direcção a um sistema de caleiras que termina numa linha de água integrada nos espaços exteriores ajardinados.